Amarélindo

Tatiana Cobbett é bailarina. Foi, costuma dizer a hoje cantora e compositora carioca, radicada em Portugal, depois de décadas em Florianópolis. Antes da pandemia, em Lisboa, encontrou o guitarrista e compositor português Luís Lapa e o encontro virou canção.

Ultimar, inspirada nas gaivotas de Santo Antônio de Lisboa que ela reencontrou às margens do Tejo, lutando contra o vento forte que costuma soprar no encontro do rio com o mar.

Quando o coronavírus obrigou o mundo – Lisboa inclusa – a se trancar em casa, Tatiana começou a reencontrar bailarinas e bailarinos pela internet e se deu conta de luta deles contra o isolamento social que inviabilizava a expressão de seus movimentos, normalmente expressos em conjunto, no contato direto.

Teve então a ideia de mandar para alguns a canção dela e de Lapa, sem qualquer referência de contexto ou inspiração. E propor que cada um fizesse sua interpretação corporal em dança daquela história de amor e desamor, idas e vindas.

Artistas brasileiros espalhados pelo mundo – que de algum modo já tinham cruzado com a bailarina Tatiana –, materializaram Ultimar em performances solo ou em grupo. 

Entre as quatro paredes do confinamento, na largueza de um estúdio, ou na possibilidade de estar a beira mar, mas ainda nos limites do isolamento determinado pelo vírus.

O resultado está posto nos vídeos desta página. Bem como o convite estendido a todos que quiserem criar outras versões para essa mesma história.

Confinada 
Encerrada em meus aposentos 
Meus pensamentos 
Meus sentimentos 
E foi que pela  janela muitos pássaros 
Lá fora  dia a dia 
Um novo dia e outro e mais um.... 
ContaminAção 
Confinados 
Encerrados em seus aposentos 
Seus sentimentos 
A roseira floresceu 
A lavanda orvalhada cheirava cheirava.... 
Amar é Lindo 
Um fim de tarde 
Um por de sol 
Longe 
Outros corpos 
Dantes tão próximos 
Memória 
Nossa dança 
Nosso palco 
Nossa imobilidade 
Nossa Canção                                     

AMAR É LINDO 
De improviso 
Um pedido 
De improviso 
Expressão 
Exteriorização 
Manifestação. 
é dar murro em ponta de faca e ter certeza de curar as feridas. 
Balé Vida. 
(tcbbtt)
Bebeto Cidra, Marina e Renata Cidra – Barcelona/Espanha
Francisco Rider Silva – Manaus/Brasil
Roberta Maziero – São Carlos/Brasil
Maria José Sommer – Montevidéu/Uruguai
Carla Silva – Augsburg/Alemanha
Bárbara Faustino – Lisboa/Portugal
Daniela Angeli – Florianópolis/Brasil
Lucianita Farah – Genebra/Suíça